Leroux Shakespereano

Estava no ônibus, tentando dormir. Atrás de mim, um rapaz e uma moça conversavam. Os assuntos mais diversos: trabalho, livros de Dan Brown, filhos, roupas, e filmes. Nesta parte acordei, definitivamente. A moça, que falava com a maior propriedade sobre todos os temas, começou a citar seus filmes diletos e os últimos que havia assistido. Num certo momento ela diz:

___ Nossa, assisti ao O Fantasma da Ópera, de Shakespeare (…)

Quase me virei para dar-lhe um soco, ou coisa que o valha.  Não preciso nem falar da honra dos escritores que ela envolveu, pois eu, eu, fiquei ofendido.

——————————————————————————————

Ainda hoje, no caminho para o trabalho, ví algumas daquelas placas de campanha do Geraldo Alckmin feitas de casa, lar, por moradores de rua. Votos ganhos.

——————————————————————————————

Ontem comecei a ler O Óbvio Ululante, de Nelson Rodrigues. Cinismo essencial.

Anúncios

1 comment so far

  1. Rayanne on

    Pooooxa…

    Realmente. Ignorância é suportável, até certo ponto. Passando dele é realmente doloroso 😛


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: